segunda-feira, 31 de Maio de 2010


O MÉTODO CARTESIANO

Os mortais são dominados por uma curiosidade tão cega que, muitas vezes, enveredam o espírito por caminhos desconhecidos, sem qualquer esperança razoável, mas unicamente para se arriscarem a encontrar o que procuram: é como se alguém, incendiado pelo desejo tão estúpido de encontrar um tesouro, vagueasse sem cessar pelas praças públicas para ver se, casualmente, encontrava algum perdido por um transeunte. Assim estudam quase todos os quimistas, a maioria dos geômetras e um grande número de filósofos; não nego que tenham por vezes muita sorte nos seus caminhos errantes e encontrem alguma verdade; contudo, não estou de acordo que sejam mais competentes, mas apenas mais afortunados.

Ora, vale mais nunca pensar em procurar a verdade de alguma coisa que fazê-lo sem método: é certíssimo, pois, que os estudos feitos desordenadamente e as meditações confusas obscurecem a luz natural e cegam os espíritos. Quem se acostuma a andar assim nas trevas enfraquece de tal modo a acuidade do olhar que, depois, não pode suportar a luz do pleno dia.

É a experiência que o diz: vemos muitíssimas vezes os que nunca se dedicaram às letras julgar o que se lhes depara com muito maior solidez e clareza do que aqueles que sempre frequentaram as escolas. Entendo por método regras certas e fáceis, que permitem a quem exatamente as observar nunca tomar por verdadeiro algo de falso e, sem desperdiçar inutilmente nenhum esforço da mente, mas aumentando sempre gradualmente o saber, atingir o conhecimento verdadeiro de tudo o que será capaz de saber.
--------- René Descartes, Regras Para a Direcção do Espírito, IV

Imagem: Turning Torso, Malmo, Suécia


6 de agosto de 1936
He tenido una idea maravillosa, me voy a España, a la revolución española. Allá en Cuba se dice, por el canto popular jubiloso: "no te mueras sin ir antes a España". Y yo me voy a España ahora, a la revolución española, en donde palpitan hoy las angustias del mundo entero de los oprimidos. La idea hizo explosión en mi cerebro, y desde entonces está incendiado el gran bosque de mi imaginación.
------ Pablo de la Torrente de Brau

  • VOZES DE ATENTAR...
For I am in love with none other than myself, and my very separation is my union, Ibn Arabi.

  • BIFRONS. AS HONRAS, AS PROMESSAS E AS DESGRAÇÃS
Podem dizer que sou chato! Mas digam-me, também, porque é que a RDP África não emitiu a cerimónia de outorga do doutoramento honoris causa pela Universidade Técnica de Lisboa ao Presidente Pedro Pires? Há poucas semanas, no Algarve, o escritor Pepetela recebeu idêntica distinção e teve honras de transmissão directa pela rádio lusa que se diz de África. É claro que Pepetela é mais importante que o chefe de Estado de Cabo Verde, essa terra de pouca gente e sem um grande mercado; é claro, não fossem escuras tantas noites e tantas coisas banhadas de morabeza.

A presença de Presidente Cavaco Silva, de algum modo, lá colocou um salompas no mal-estar que a ausência de Pedro Pires na cerimónia de entrega do Prémio Camões ao poeta cabo-verdiano Arménio Vieira se revelou patente e que uns pontapés bem dados na bola, nas terras altas da Covilhã, suscitou a manifestação de uma realidade endémica de muita gente em terras lusas. Lá se tentou colocar água na fervura, com a entrega falhada das chaves da futura Casa de Cabo Verde em Lisboa ao Presidente Pedro Pires. Mas nem tudo é um mar de rosas, ainda que ande muita água de rosas e de malvas por aí; sem dúvidas.

Mais do que ver Pedro Pires receber o doutoramento honoris causa, gostei de vê-lo, enquanto cabo-verdiano e Presidente – todas as vezes que isso acontece – a ser honrado numa terra em que os seus governantes, nomeadamente os socialistas, recusaram recebê-lo aquando do consulado do MPD. O Governo de António Guterres, v.g., não recebeu Pedro Pires em Lisboa; a mesma Lisboa que só falta entregar-lhe as chaves da cidade por um dos membros do Governo de então, António Costa. Há quem tenha memória, e eu tenho…

Esta Casa de Cabo Verde – um projecto com muitos anos e barbas velhas –, ao ser instituída, ficará a dever a sua instalação, em muito, ao ex-Embaixador Onésimo Silva. Não foi instituída por causa do anterior ciclo político e poderá acontecer o mesmo, se leio bem as palavras de António Costa, agora. O mais certo, no entanto, será o enquadramento desta Casa Verde (que será uma espécie de machada final na Associação Cabo-verdiana e um concorrente da Casa da Morna) na agenda política governamental. Mais próximo das eleições, se não for na campanha ou pré campanha eleitoral, lá virá o Primeiro Ministro José Maria Neves inaugurar a Casa de Cabo Verde. Tudo feito by the book, o mesmo que se usa há muitos anos em terras lusas. Só espero que não seja um remake da Casa da América Latina…

Mas, a não transmissão do evento pela RDP África deixou-me a pensar… se é mesmo necessário um serviço destes, em que não se percebe os critérios para se emitir este ou aquele evento. Eu, percebo! Assim como percebo outras coisas. E também pensei em Gilson João dos Santos Alves… no Porto, no Hospital S. João do Porto.
Imagem: A Semana on line

sábado, 29 de Maio de 2010


"Si Dios Fuera una Mujer" - Mario Benedetti

Pero Dios es una mujer... ¡Yo lo creo!

quarta-feira, 26 de Maio de 2010

  • YO, JUDÁ LEON, EN LISBOA
Despierto, y hay más que el despertar. Otro día, otro milagro y quilómetros de sueños y de luz. Escucho los pájaros por la ventana, miro a gotas de lluvia fundiendo la tierra como si fuese algo más... ¿Qué anhelos tienen eses seres demasiado bellos para ser humanos?

El aire fresco de la mañana besa el canto de los pájaros, como se hablasen de mí, como si fuese el amante de sus sueños. Y cantan, miles de miles de veces; hablan de mí. Tengo hambre, y es de todo, el todo que no es bastante. ¡Oh, héroe de la lira! ¿Acaso sabes lo que es La melodía, lo que es la euthyna del miel que grasa la memoria de los amantes y lo que es y como se dice, de verdad, el nombre de Dios? Los pájaros lo saben y miraban un sueño desnudo, desnudo y durmiendo como un guardador de rebaños que baja la colina con el Sol en sus besos y todo el Yo.

Despierto. Y El me mira, a mí, Judá León, lejos de Praga y en Lisboa…
¿Pude Dios devorar a sí mismo?

segunda-feira, 24 de Maio de 2010

  • A VERDADE DO MITO
Ver Ernesto “El Che” Guevara sem barba, de fato e gravata fumando um Monte Cristo… resulta estranho para muitos, os que não conhecem o outro lado do homem Guevara (que bom gosto em matéria de puros!). Talvez Wladyslaw Reymont tenha razão… e "o céu e a terra converte em inúteis a uns e em fome e severidade a outros".

Ouvindo uma conferência na Universidade Nova de Lisboa, e que incidia sobre jornalismo em Cabo Verde, fiquei com a sensação de que, por vezes, somos uns palonços da história e de outras coisas. Y el sol todavía nace… dizia Gabriel Garcia Lorca, antes do troar das armas do pelotão de fuzilamento que calava a sua voz. Há coisas que não prescrevem, como o Mundo ser dos espertos que se vendem como se fossem cachos de bananas em feira de criadores de macacos; como se fossem dilectas discentes de Chrisys numa Atenas negra e menos do que a memória. Y el sol todavía nace, mas é só porque não se pode matar, porque não tem predador.

Falar seja o que for a quem não quer ouvir nem ver, o destino. Só está bem onde se é convidado, disse o Presidente Pedro Pires a propósito do facto de nãoter sido convidado para a entrega do Prémio Camões a Arménio Vieira. Mas como poderia ser convidado? A língua não é do Brasil (cada vez mais) e de Portugal? Nós só servimos para dar o "exemplo" aos outros países africanos... a língua não é nossa! Dizem eles, como os seus actos. Foi uma afronta a Cabo Verde como país, como Estado. Mas ninguém diz nada... a fome, ah!, a fome e a pequenez!

Não é ler, falar é que é uma maçada ó poeta!

Imagem: Ernesto “El Che” Guevara

sexta-feira, 21 de Maio de 2010

  • EL VASO O EL LUGAR NATURAL

Un copo de nieve en Mayo es tu sonrisa.
¡Y yo lo bebo todo!,
como el Mar la sencillez de la mañana
y el hermoso llanto de las tardes sin ti, el vaso.

El corazón de la ausencia son los brazos
de sueños sin utopías, la inmortalidad hecho niño oscuro
y que dice a ti lo que Dios no puede escuchar.

Además, nosotros somos copos de tiempo,
preciosos y torrados por el Sol de Mayo,
el Sol que no despide la luz y el clamor de Sábado
que tarda cubierta de esperanza.
¡De esperanza y la palma blanca del Mundo!

Y el vaso es la puerta del Mundo.
Su hijo-grito es de dolor y de placer…
Y los rasgos del vaso del Tejo es como lo de la madre
que alimenta mundos y sueños.

¡Una copa de nieve y un vaso y leche!
El Mundo es un lugar natural y la palabra es su amo.
¿Y se debe quedar-se en silencio, gritar ¡Nhor Deus! o Gratia plena?
------ Virgílio Brandão

PS: Escrevo o meu poema do dia, não pelo puro prazer de escrever - pois a hora é de deveres - mas para ser especialmente grato. Contradição? Sim, mas somente no logos, no logos.

Imagem: Andy Wharol

  • LIVROS QUE MERECEM MAIS DO QUE SER LIDOS...
Haruki Murakami, Crónica del Pájaro que da Cuerda al Mundo.  

Imagem: Flowers - ClaudeMonet


  • ¿QUIÉN ERES TÚ?
¿Quién eres tú, cuerpo feliz de mi soledad?
Sí, dime con la voz de tus entrañas,
¿quien eres tú en la hora de Assr,
ayer y todos los otros días de dibujos
con la sombra del sábado a destellar Shamayim
y todas las otras mitades que digo tuyos?

¡Cielos! El cielo me tienta…
y miro Gabriel, Miguel, Israfil y Israil
en las islas de mí ombligo serrano y ventoso
a buscar las calles del sueño
de la reconstrucción del mundo con tu nombre.

¿Quién eres tú, ó esencia prima del mundo
que va a venir de tu aliento y del hogar secreto
de los gigantes de la tierra menos tierra de tierra?
De la tierra menos tierra de la tierra… y del mar,
del mar más mar que todos los mares,
el testigo del sangre que costó el color de mi piel.

¡Yo lo sé! El color y la miel de mi piel
son el fruto de los dibujos de una nueva gente,
la gente mediana; así como el mundo feo sin espejo.

La violación de miles de miles de vientres negros
expulsos a acero colado del cielo, como Eva de la tierra
para el nuevo mundo y la tierra menos tierra de la tierra.
La tierra verde de escándalo y de llanto
pues te espera, a ti y Gabriel, Miguel, Israfil y Israil
de los cuatros rincones del jardín…

¿Quién eres tú, cuerpo feliz de mi soledad?
Eres el poema de Dios y el semen de mis pensamientos.
¡Es todo!

Hoy, ahora… entiendo a los pobres.
«Ni miseria, ni riqueza» — dice la gente que no conoce
el estagirita, el doctor angelicus y el llanto de la moria
pero viven toda la filosofía del mundo.

¿Será que, tú que eres todo, puedes darnos la mano
— a mí y a Dios — y nos enseñar el camino?
Sí, el camino para el conocimiento del mal y de la liberación del dolor.

— «¿Quién eres tú, eternidad?» — pregunta el poeta…
así, por la tarde… como quien bebe un vaso de leche.
------- Virgílio Brandão

Imagem: Akenathon (Amenófis IV) e Nefertiti sentados no trono do Egipto com as filhas e sob a égide dos raios solares de Aton. As três filhas do casal solar são Merytaten (sendo beijada pelo Faraó) Meketaten (sentada ao colo de Nefertiti) e Aknkhesenpaaten (também chamada Ank-Su-Namoon, e que se casaria com o irmão consanguíneo - o Faraó Tutankamon, nascido Tutankaton). Este, ao que tudo indica, era filho de uma outra mulher de Akenathon - o que explica(rá) a sua ausência desta imagem e de outra da época, pois era quatro anos mais velho do que Ank-Su-Namoon e não seria descendente do Faraó Amenófis III e de Tiy, a raínha núbia (do actual Sudão) do Egipto.
- Gracias!  


  • EL CONCIERTO DE ARANJUEZ E ISAURA GOMES
O Concierto de Aranjuez de Joaquín Rodrigo é a minha música favorita, cujas interpretações são, para mim, objectos de colecção. Verei, um dia, um virtuoso como o Paulino Vieira com guitarra clássica – com a Orquestra pensada pela Isaura Gomes, como Bau e companhia, dirigida pelo Vasco Martins – a tocar o Concierto de Aranjuez algures em Cabo Verde? Deus queira que sim. E que seja no plenilúnio de Agosto. Com a leitura de Os Lusíadas a seguir, e estaria não nas portas mas no próprio paraíso.

Sim, um dia, a Orquestra idealizada pela edil Mindelense poderá brindar a nação com uma versão crioula desta maravilhosa expressão de amor, deste poema musical e expressaõ da grandeza, da dor e do amor que fende a humanidade. É que a música para além daquela que se houve na Baía das Batas, na Gamboa e outros festivais; além de que há coisas que o povo merece conhecer.

quinta-feira, 20 de Maio de 2010

  • PATRIA

«La Patria es el recuerdo... pedazos de la vida
 envueltos en jirones de amor o de dolor;
la palma rumorosa, la música sabida,
el huerto ya sin flores, sin hojas, sin verdor.»
[...]
------ Ricardo Miró

quarta-feira, 19 de Maio de 2010

O MEU POETA, O BOM GOVERNO E A BATOTA ESTATÍSTICA


O Governo de Cabo Verde, presidido por José Maria Neves, tomou umas boas medidas na semana passada, e deveria ter anotado o facto — diz-me o meu poeta. Mas eu atentei nisso, só não me pareceu o momento adequado para falar daquilo que ainda irá dar muito que falar.

Todas as flores têm o seu tempo, e existem vários tipos de abelhas; mas não tantos como os comedores de mel — anoto eu ao meu poeta. E não me percebe, o meu poeta… e perco o meu tempo a fazer-lhe notar que os técnicos do Instituto Nacional de Estatística foram aos manuais de estatística e apresentam dados extraordinários, segundo "métodos novos" (!) para apresentar o milagre do Governo: em poucos menos de um mês apresentar uma taxa de desemprego a rondar os 20% para cerca de 13%. É obra! Coisa extraordinária — dirá o meu poeta. Eu direi que sim, é coisa milagrosa… descobrir-se, de repente, o conceito de desemprego e, interpretando-o, aplicá-lo no rigor aos dados do universo estatístico pré-determinado. Na Riberia Bote e em Fonte Filipe chama-se a isso de… batota! É a diferença entre Alexandre Magno e o pirata…

Já bem dizia o Benjamin Disraeli que "existem três tipos de mentiras: as mentiras simples, as mentiras terríveis e as mentiras estatísticas." O povo, que não anda atrás de coxo mas de emprego, apanha esta inverdade estatística no seu dia-a-dia com a rapidez com que os sonhos morrem nos bairros pobres e sedentos de pão.

Nenhum governo deveria dizer que é um bom governo, pois o único bom governo é aquele que governa uma sociedade de brutos que se tomam por sábios… pois governar uma comunidade de brutos-sábios ou de sábios-brutos é mais difícil do que fazer um paraplégico saltar a corda. E é por isso que o estagirita distinguia a boa e a má democracia. Os sábios que não são brutos andam a dormir, ou será que vão se tornando brutos com o silêncio que cultivam quando deveriam gritar aos quatro ventos? Ou será que é o medo que faz com que os sábios-sábios se escondam e cedam o lugar aos sábios nescafé que pululem a blogosfera cabo-verdiana? Há um connatus essendi social por aí… ai se há!

E não colocar o saber adquirido ao serviço da comunidade é, também, batota; a demissão da responsabilidade intelectual é, também, batota moral e uma mentira estatística. Porque? Porque os doutores não são aqueles que tem títulos académicos mas si aqueles que ensinam a aprender, a pensar, a questionar e, a afinal, a agir. Uma terra de doutores calados é tudo menos uma terra de doutores, é uma terra de vasos vazios e recolectores… até nisto a estatística mente!

O que me lembra, para o meu poeta e quem quiser, uma historia medieva. Um poeta — que era, ao que parece, saltimbanco, vaidoso, "futurista e tudo"… como diria o Almada — gritava numa feira, promovendo-se:

— Dêem-me um tema! Dêem um tema e farei o mais belo dos poemas…

Uma velha, com a sapiência ou sageza legada pelos anos a brilhar-lhe nos olhos da alam tumefacta, gritou do alto da sua provecta autoridade:

— Senhor poeta, o que o Senhor precisa não é de um tema… é de um coração!

Pois é, quem é que não precisa? O que sei é que nunca daremos um coração à estatística! À estatística e não só… não acha?

terça-feira, 18 de Maio de 2010

  • MÚSICA TUYA

¿Es verdad que te gusta verte hundida
en el mar de la música; dejarte
llevar por esas alas; abismarte
en esa luz tan honda y escondida?

Si es así, no ames más; dame tu vida,
que ella es la esencia y el clamor del arte;
herida estás de Dios de parte a parte,
y yo quiero escuchar sólo esa herida.

Mares, alas, intensas luces libres,
sonarán en mi alma cuando vibres,
ciega de amor, tañida entre mis brazos.

Y yo sabré la música ardorosa
de unas alas de Dios, de una luz rosa,
de un mar total con olas como abrazos.
------- Blas de Otero

Imagen: La floresta encantada — Jackson Pollock

domingo, 16 de Maio de 2010

  • MANIFESTO GRÁFICO
!Yo apoyo Baltazar Garzón, sí! De las razones de jure, te hablaré después…

sábado, 15 de Maio de 2010

| LAS LEYS DE LA MECÁNICA DE NEWTON O LA POLITEIA NATURALIS

Miraba este video [editado abajo] como instrumento de la obligación de aprender algo de nuevo todos los días, y pensé: — "La segunda y la tercera ley de Newton también se aplican a la política". Después de meditar un poco llegué a la conclusión de que sí, se aplican de todo a la política.

La mecánica, mejor, las leyes de la mecánica no son solamente para los cuerpos naturales… se puede aprender algo más para la ánima de la praxis política y el bien estar social. ¡Me gusta Newton! por eso y mucho más. Así se cae y así se levantan las cosas, ¡todas las cosas! Politeia naturalis... es para después.

Imagen: Isaac Newton

video

  • Isaac Newton y la Gravidad

sexta-feira, 14 de Maio de 2010

  • A VERDADE DE COPENHAGEN 
Der Speigel disponibilizou uma gravação sobre as negociações de bastidores dos principais liedres mundiais na Conferência de Copenhagen sobre as alterações climáticas. Assim se vê como, realmente, se gere o Mundo e os interesses da humanidade. 

A irresponsabilidade da África do Sul, Brasil, China e India é patente, raia o absurdo. E quem se lembra das belas palavras de Lula da Silva? Públicas virtudes... e aplausos gerais para aqueles que dizem, em plebeismos, já fodeste o mundo, não é? Agora é a minha vez. A conta, pagas tu que tiveste o proveito. Sad, too sad to be true, but it is.

Imagem: Gordon Brown

quarta-feira, 12 de Maio de 2010

  • EL HAMBRE

Es por la noche que se reúnen los cuervos
para hablar de los despojos de mí,
hasta del producto final de la cena…
¡Ah, yo lo sé!

Se alimentan de mí
y de mis sueños y pensamientos
— pero son pobres y hambrientos
pues yo no sueño sueños como ellos
y mis pensamientos no están en el mercado,
son dádivas, óbolos de mí y más…
como son los peces en el mar,
la lluvia en el desierto descubierto
y el 70X7 del Cristo en la cruz.

Es por la noche que se reúnen
eses hombres y esas mujeres, cuervos desnudos
de amor, de piedad y humanidad gritando:
— ¿Dónde está el oído de nuestra lechosa teta?
Y yo los escucho en la bodega de humos y dores
de la última oportunidad.

Sus egos son desmesuradamente pequeños
como es sus almas: átomos embriagados
que gritan por un inmortal deseo salido de mí
soledad. ¡Yo lo sé! Estoy siempre presente
pues disfruto el placer de triunfar sobre el asco crudo
y de ser en mi silencio el sueño de los cuervos.

Y a ti te digo, mujer, hombre, niño…
que hay tres cosas que no pasarán, nunca:
el amor, la belleza y el hambre de los cuervos.
Los cuervos serán siempre hambrientos del amor
y de la belleza que no pueden tener.
------ Virgílio Brandão

terça-feira, 11 de Maio de 2010

  • PALAVRAS DE ATENTAR…
Povo de Orfalese, podeis abafar o tambor e afrouxar as cordas da lira, mas quem poderá impedir a calhandra de cantar? — "Das leis", in O Profeta, Khalil Gibran

Imagem: Khalil Gibran

  • ORAÇÃO
Ah, Eloha! Pudesse eu olhar nos olhos de Al Mitra e escutar a sua voz…

L'antipapa — Max Ernst

  • A SAÚDE DE CESÁRIA ÉVORA
Cesária Évora foi submetida a uma intervenção cirúrgica ao coração, em Paris. O seu estado merece cuidados, pela natureza da cirurgia, mas encontra-se bem — pelas notícias que se sabe até ao momento. 20 concertos em pouco mais de 3 meses, para uma pessoa com idade de Cesária Évora é excessivo, principalmente se se tiver em consideração a sua idade, o seu actual estado de saúde – que já vem se revelando debilitado — e o jet leg inerente às viagens intercontinentais. Que se recupere depressa, e continue a encantar-nos com a sua voz e a levar o nome de Cabo Verde a todos os cantos do Mundo.

O que pergunto é: terá tido um parecer médico para ter uma "carga de trabalhos" de tal ordem como são, em média, seis concertos por mês em vários continentes? Não sou médico, mas parece-me que no actual estado de saúde da Cesária Évora, uma tournée com tantos concertos era de todo dispensável. Bom seria que se tivesse em consideração de que existem coisas mais importantes na vida do que rechear a conta bancária, seja de quem for, ou promover seja o que for. A voz da Cesária Évora, assim como a do Bana, são cultura viva da nação cabo-verdiana, e deveriam ser preservadas e não sujeitas a riscos desnecessários para a sua saúde. A vida é tão preciosa, e tão frágil…

Fica uma lista dos espectáculos cancelados para se ter uma ideia do esforço a que Cesária Évora tinha, ainda (depois de passar por Lisboa e Paris), de se submeter nos próximos meses:
15/05: Bucharest, Romania
16/05: Lausanne, Switzerland
18/05: Istanbul, Turkey
20/05: Brussels, Belgium
22/05: Bydgoszcz, Poland
24/05: Helsinki, Finland
21/06: Bursa, Turkey
24/06: Washington DC, USA
25/06: New York, USA
26/06: Boston, USA
28/06: Toronto, Canada
30/06: Montreal, Canada
05/07: Rome, Italy
10 & 11/07: Shanghai, China
15/07: Olympia, Greece
16/07: Athens, Greece
21/07: Hammamet, Tunisia
23/07: Brive-la-Gaillarde, France
25/07: Mhze, France
27/08: Belem, Brazil

segunda-feira, 10 de Maio de 2010


Foto: Aldeia de São Pedro, Ilha de São Vicente, Nuno Pombo Costa

sábado, 8 de Maio de 2010

[...]
de que se que deve ter medo?
Chove, em muitos lugares
o amor nasce
puro.

sexta-feira, 7 de Maio de 2010

  • O MEU POETA
A monogamia masculina é contra a Lei da natureza — diz-me o meu poeta.

| PERPLEXIDADE DÉLFICA

Que pode dizer um homem quando se sente tão feliz, mas tão feliz ou seja o que é isso que rompe a alma com lâminas de gozo… que tem a sensação de estar a agarrar o universo pelos cornos, a eternidade pela mão e Deus pela cunnus? Vanitas vanitatis, e seria sapientíssimo!

Imagem: La donna luna — Jackson Pollock

quarta-feira, 5 de Maio de 2010

  • O NOVO SITE DA EMBAIXADA DE CABO VERDE EM LISBOA E A ECONOMIA NACIONAL
A Embaixada de Cabo Verde em Lisboa tem um novo website. Até aí tudo bem, pois o anterior era um horror estético. Pelo que só se pode aplaudir um novo site, ainda que o mesmo não traga nada de novo ao nível das funcionalidades e seja, na sua concepção, uma cópia integral do site da rádio terra-longe; quem o viu on line sabe do que estou a falar.

Estética a parte, o que me leva a escrever este nota é uma outra razão, de substância e não de estética. Num país com o nível de desemprego e a estrutura económica de Cabo Verde, o normal não seria que a construção do site fosse adjudicada à uma empresa cabo-verdiana? A resposta é claramente sim. Mas então, porque foi contratada uma empresa portuguesa para o fazer? A Helcadesign pode ser a empresa mais competente do Mundo, mas será que não havia em Cabo Verde quem fosse capaz de fazer uma web page de extrema simplicidade técnica, em html e um scroll repetido? Enquanto não investirmos, ainda que em coisas pequenas, no país e na capacidade das nossas empresas e dos nossos cidadãos não iremos longe no desafio do desenvolvimento.

O que estraga a vinha, como bem dizia o sapientíssimo Salomão, não são as raposas, são as raposinhas. O exemplo do Ministério do Ensino Superior, Ciência e Cultura, que contratou uma empresa nacional, a Prime Consulting (e parto do princípio de que a empresa seja nacional e que se tenha feio o devido concurso público), para fazer o seu website é de seguir; e espero que o resultado seja melhor (já agora: podem começar por corrigir o nome do Ministério… é que faz diferença quando grafa o nome de tal instituição) e demonstrativo da capacidade técnica do made in cv.

Já agora: se há coisa que nunca percebi é porque os empresários cabo-verdianos na diáspora, assim como as associações de imigrantes e instituições análogas de cabo-verdianos, não recorrem a empresas nacionais para execução de trabalhos — como é o caso da construção de web sites e seu respectivo alojamento ou outras actividades comerciais em que o outsourcing é possível — que poderiam ajudar a economia nacional. Ainda temos muito caminhar na construção de uma sociedade de solidariedade, pois de morabeza temos muito; para com os tenentes Serra e quejandos. Por vezes ocorre-me que a morabeza — assim como a cachupa (!?) que se come em Lisboa — nasceu do casamento entre a vontade de agradar o colonizador e o verdadeiro wit e boa vontade do povo cabo-verdiano. Ocorre-me, e nunca o tinha dito…
--- Imagem: Chema Madoz

  • ANTE-CRÓNICA NECROLÓGICA

Porque, tu que me comes,
te apressas a consumar o nosso destino?

Não sabes que sou o ribeiro pensante dos sentidos
que te despertam, que ao nascer já era fogo fátuo
e que nunca serei cometa?

Peço-te, por tudo isto que somos,
paciência; se te for manjar aplacador,
podes ver-me como Ezequias
e tu o seu Senhor.

E é quando acordo que sinto que morro
— a cada segundo gasto o meu crédito de vida.
Oh, que banqueira usurária és!
----- Virgílio Brandão

terça-feira, 4 de Maio de 2010


E assim vai o mundo...

  • ESCLAVOS DE OREJA AGUJEREADA

Voy subir al monte,
al monte más alto y profundo de mi piel
y de tus manos gritar al Salvador
el verbo primo de una vieja canción
de los hijos del viño seródio, Cush y Nimrod
— Malaika, nakupenda Malaika…
¡Y Cristo será negro!
Desceremos del monte
y nos listaran en los ejércitos esclavos,
en tu compañía .

Pero nosotros seremos conscientes,
ya que nosotros cantamos canciones
— ¡canciones de amor!
Virgílio Brandão

Imagem: Picasso, Cabeza de mujer (1909)

Ramsés II, o Grande construtor, filho de Seti I.

E queria ser eterno, o Grande Ramsés. Devemos ter cuidado com o que desejamos, pois podemos conseguir o que almejamos... diz-me o meu poeta.

  • VOZES DE ATENTAR...
É normal os pedantes serem sempre temerários e presunçosos, Giordano Bruno (The Cabala of Pegasus).

segunda-feira, 3 de Maio de 2010

video

  • A CORRUPÇÃO ENDÓGENA E OS CORRUPTORES

A corrupção é um vírus mortal para a sociedade; e começa com um sim a um favor ou benefício indevidos, com um fechar de olhos... com o "jeitinho" aos amigos e aos amigos dos amigos, com a promoção de quem não merece, com o favorecimento dos familiares e dos amigos dos familiares em detrimento do mérito de outrem, com a "mão que lava a outra". Isso, também, é corrupção.

A corrupção é um vírus silencioso, e destrói vidas e projectos com as acções que potencia. Começa na alma, e depois passa para as acções corrempedoras da estabilidade, da paz e da segurança da sociedade e dos cidadãos. Ela está aí, em toda a parte; é endógena e socialmente transversal. E por isso deve ser combatida por todos com o não e com a denúncia oportuna. Mas não pode ser uma arma de ataque, pois é um instrumento de defesa da sociedade contra os seus inimigos os corruptores.

Usar a luta contra a corrupção como arma de ataque ou como meio instrumental para se atingir seja quem for ou qualquer objectivo que não os legalmente prescritos é, em si mesmo, um acto de corrupção. Um acto de corrupção tout court, no plano legal, mas também uma forma de minar os valores que sustentam a sociedade que sofrem um desvio moral com tais práticas; pois, em boa verdade, mesmo o fim legítimo não deve ser alcançado por meios ilegítimos ou moralmente reprováveis.

A corrupção, na sua configuração social, é um autêntico camaleão; e nem sempre vemos onde estão os corruptores e os que se deixam corromper, e o juízo de censura sobre estes deve ser particulamente grave. Grave, mas no plano dos princípios e dos valores que enformam e sustentam a sociedade, nomeadamente o da legalidade, pois de outro modo... a acção será uma acção corrompida.

Daí a defesa da integridade dos valores fundamentais da sociedade ser um imperativo, um reduto que deveriámos defender, todos! Mas, infelizmente, isso não acontece na sociedade cabo-verdiana. E o processo de revisão da Constituição da República foi, em si mesmo, um mau exemplo neste plano. E não me sinto a pregar no deserto, não...

domingo, 2 de Maio de 2010

  • VOZES DE ATENTAR...

Cada um, senhor absoluto de seus filhos e de suas mulheres, distribui leis a todos... — Homero.
.
Imagem: Abigail, Di Cavalcanti (1947)