domingo, 5 de setembro de 2010

  • EU E O MEU POETA
«Um mar de desejos e um céu de poesia acordam-me. A vida pode até ser bela… mas é essencialmente cruel. Deveríamos nascer velhos e morrer plenos, numa velhice de vontade, como Catão o Novo» — escuto do meu poeta.
Imagem: Konstantin Kalynovych — The Seventh Sky

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.