quarta-feira, 22 de Dezembro de 2010

  • ELY ANTES DE NASCER

A chuva fende-nos,
o firmamento e Eu…
copiosos na tarde ferida
pelo fino ladrar dos cães
e pelo grasnar dos corvos de atalaia
desencantados e nus.

A vida escandaliza
pela usura do seu preço;
e a chuva cai como lágrimas.

Antes da terra
comer-lhe carne e ossos
cai-me nos olhos de ontem,
funda-se em mim; percorre-me
as estranhas…
…e o que sou germina.
Ah!... se o Estagirita visse este germe,
o seu gume de vida
gritaria como no dia que viu os vermes
dançando na terra grega:
— «É assim que Deus nasce!»
22-12-2010
Virgilio Brandão

Imagem: A Anunciação, Giovanni Belinni

Sem comentários: