sexta-feira, 19 de junho de 2009


  • A IMPORTÂNCIA DE SEREM DOIS

Diz Salomão, que melhor é serem dois do que um, pois se um cair o outro ajuda-o a levantar-se. Nunca tal foi para mim tão verdadeiro como hoje, ao ver a CNN. Um piloto da Continental Airways, companhia de tripulantes afáveis e profissionais, e com quem já tive o prazer de viajar, morreu durante um voo entre Busselas (Belgica) e Newark (New Jersey, Estados Unidos). A aterrizagem do avião, um Boeing 777, foi feita pelo co-Piloto (os aviões têm um piloto extra para situações de emergência), que estava a postos no momento do incidente.

Lembro-me, agora, de há algum tempo, ter estado com um amigo, Piloto de uma companhia aérea europeia, a beber uns Manhattan´s no Hard Rock Café de Lisboa. Foram, entre uma conversa muito animada, uma meia dúzia. Como já estava meio grogue, levei-o até ao Hotel Tivoli, onde estava hospedado, para avisar na recepção de que o deveriam chamar as 06:00 para ir ao Aeroporto.

Chegados ao Hotel, fui informado na recepção que não haveria problemas: todos os hóspedes da Companhia aérea seriam acordados as 06:00. E o meu amigo insistiu em beber mais um Manhattan! Disse-lhe que não, que já chegava e que ele tinha trabalho de manhã.

– «Está bem, então vou beber sozinho» – disse-me.

Tive a sensação, na verdade quase certeza, que se ele ficasse ali iria beber muito mais do que uma bebida (e o Manhattan no Tivoli, ao contrário do que acontece no Hard Rock, tem Augustura, o que torna a bebida mais forte - mas mais saborosa). Lá bebemos mais um Manhattan, e disse-lhe:

– T., não estás em condições de ir pilotar um avião!
– Ah, não te preocupes! Eu sou o co-Piloto, não irei fazer nada; só se for necessário e em situação de emergência. O avião em que trabalho é o transporte mais seguro do Mundo, nunca acontece nada – volveu.
– Sim, deves ter razão, mas vai descansar – repliquei.

Seguiu o meu conselho, e eu segui para casa, pensando que felizmente ele não ia pilotar um avião. Antes de o deixar no lobby do Hotel disse: «T., se sentires dores de cabeça de manha, bebe um Bloody Mary que isso passa logo. Chegou ao destino, bem. Lembrei-me dele hoje, Amanhã, telefonar-lhe-ei.

PS: Um dia destes ensino aos leitores de Terra-Longe como se faz um Bloody Mary, pois é bem melhor para a "ressaca" que uma canja de galinha gorda acompanhada de chã gelado açucarado.

Para ouvir bem o som do Video, tire o som no plugin da rádio, à esquerda...

2 comentários:

José Teles disse...

Pois venha lá essa receita que está a fazer falta a muita gente.

Virgílio Brandão disse...

José Teles,
está prometido: logo que me livrar de um compromisso há muito adiado publicarei a receita.

Abraço fraterno