terça-feira, 5 de janeiro de 2010

  • O CARTOONISTA MOISÉS E O PRIMEIRO MINISTRO

A crítica política é boa, particularmente saudável quando é feita com humor. Mas por vezes vai-se para além da crítica e entra-se na esfera da ofensa. É o caso do último cartoon de Moisés publicado no Expresso das Ilhas – “Burro na Ladera”.

.

Não consigo ler o que o cartonista escreveu… mas o que vejo é uma afronta e inadmissível num Estado de Direito e no quadro da actividade jornalística: comparar o Primeiro Ministro de Cabo Verde ao infame dirigente nacionalista alemão, com casacas castanhas atrás de si, é passar dos limites éticos e do bom senso. É uma mensagem que o Expresso da Ilhas não deve(ria) dar espaço para medrar. Crítica, sim. Desta, não… ó Moisés!

.

Um pedido de desculpas ao Primeiro Ministro, é o mínimo exigível.

15 comentários:

Anónimo disse...

Pergunta:::qual a diferença a diferença entre cartoonista e estupido?
resposta:::A ignorançia!!! penso que pra ser cartoonista ,ha que ter uma certa cultura, conhecimento da historia, e nâo cair em comparaçôes futeis,desnecessarias , é incrivel como alguém na posse de todos os seus neuronios pode fazer tal comparaçao.;

anonimo

Et disse...

Caro Virgílio, a imagem é sinistra e evocativa de um dos piores momentos da nossa História recente. Uma violência... Simplesmente ABOMINÁVEL!!!

Anónimo disse...

Liberdade, meu caro, Liberdade, em todos as suas vertentes, de critica, de opiniao e de caricaturar!

Sarkozy ja foi também comparado a Hitler, a Napoleao BONAPARTE! O primeiro ministro italiano Berlusconi ja foi também comparado com Mussolini.

Que dizer dos cartoonista dinamarqueses e a polémica sobre as caricaturas de Maomé?

E Carlos Veiga que foi comparado com Salazar?

Onde é que você andava?!

Liberdade, doutor, liberdade!

Bom Ano

Virgílio Brandão disse...

5 de Jan de 2010 08:40:00,
a comparação peca por excesso de tudo, sim.

Et,
falta noção da história, claramente.

Anónimo 5 de Jan de 2010 23:41:00:
tenho estado aqui, por aqui. E atento. E vicê tem andado por onde? Uma vez que não sei quem é posso perguntar...

Sarkosy tem tido politicas e um discurso que se podem comparar às de Napoleão Bonaparte, e até próximas do Nacional socialismo alemão. E alguém tem dúvidas de que Berlusconi tem um discurso fascista na esteira do Duce?

E não me fale dos cartoonistas dinamarqueses e da polémica sobre as caricaturas de Maomé pois tal está no plano da intolerância religiosa. Os cartoons só ferem a sensibilidade religiosa epidérmica, nada mais.

Carlos Veiga comparado a Salazar ou José Maria Neves comparado a Hitler são exageros que razam a estultícia. Se compreendo a hiperbole de uma imagem autoritária (para quem o diz ou representa perante o público) na figura de António Oliveira Salazar, já não existe hiperbolização possível do mal no que respeito Adolfo Hitler.

Hoje, na consciência colectiva, é pior comparar uma pessoa a Hitler do que ao Diabo. Se não tem consciência disso...

E não é liberdade, não, é abuso de liberdade de imprensa! Exércício inadmissível de um direito, dizem outros em melhor verbo.

Eu ando por aqui, sempre por aqui (que não é "por aí..."). E tenho a liberdade de dizer o que me apraz, sempre com a cara descoberta, sempre com o meu nome. Sempre com a liberdade de ser o que sou, e de publicar alguns dos cartoons malditos de Maomé aqui neste blog, caso não os tenha visto...

Coloquemos as coisas no seu devido lugar... mutatis mutandis, ó anónimo de 5 de Jan de 2010 23:41:00! Mutatis mutandis.

Abraço frateno a todos e um Bom Ano, com mais coisas felizes do que infelizes.

Anónimo disse...

Claro que tem liberdade de dizer o que diz; nao contesto! Mas tenho também a liberdade (e nao estou sozinho!) de dizer o que disse.

Acha que o primeiro ministro dinamarquês é "fascista" e nazi" quando diz que aqueles que nao aceitam as caricaturas de Maomé nao sao democratas e defensores da liberdade e dea tolerância?

Voltaire que achincalhou Maomé era intolerante, era fascista, era nazi, antes desses ideologias hediondas existirem?

Liberdade, meu caro, liberdade de opiniao, de critica, a satira, o gozo que recomenda o proprio Talmud.

A Biblia está cheia de exemplos daquilo que vejo como liberdade e que você vê como uma afronta.

Liberdade, é ter capacidade de encaixar os venenos que nos lançam à cara; ao que responderemos com a mesma liberdade de ironia e mesmo desdém. Palavra contra Palavra!

Se bem o entendo você acha entao que José" Maria é mais democrata, mais respeitador do estado de direito democracia e tolerência do que Sarlozy e mesmo Berlusconi chefes de estado de democracias da velha europa que servem de farois ao MuNDO?

Olhe que Sarkozy derrapa, mas você ainda nao percebeu bem a politica do homem. Sabia que ele foi o primeiro chefe de estado francês a nomear pretos e arabes em cargos de Ministérios de prestigio, como Ministro da Justiça e SCEAUX (conhece o simbolismo de um ministro de SCEAUX na politica francesa?).

Os caboverdianos quando se fartam de falar em crioulo sui generis, buldonhe, e jantam todos os dias de identidade crioula, mais nao fazem do que defender a mesma politica de identidade nacional que Sarkozy anda a promover.

So que essa politica tem duas vertentes: uma de integrar filhos de imigrantes ao nivel de ministros e de outro lado, ser duro com aqueles que prevaricam. Os que praticam a violência que colocam bombas têm os meus direitos que você como imigrante respeitador das leis tem em Portugal?

Que Sarkozy é muitas vezes arruaceiro e que Berlusconi nao passa de trauliteiro, nao diria o contrario. Que Berlusconi éum vigarista, que sou eu para desmenti-lo? Mas olhe que ele foi eleito democraticamente e ainda a Italia nao vive uma pré-epoca Mussoliniana.

Ande daí, doutor, você exagera! Comparar Zé Maria ao Sarkozy, é corda grossa para torcer!

Bom Ano

Virgílio Brandão disse...

Anónimo de 6 de Jan de 2010 20:51:00

Note que, como disse, e reitero, não vi nada de mal nas caricaturas do homem da Dinamarca. O ataque ao caricaturista foi, é, um atentado à liberdade de expressão e uma manifestação da intolerância religiosa de radicais islámicos. Ponto final.

E não precisa de ir muito longe, basta olhar a obra de Salvador Dali e o tramento que dá aos símbolos do Islão. Neste aspecto, não vi nenhuma afronta. Mas não leu bem o que eu escrevi, só pode.

Eu não acho nem tenho de achar que o Primeiro Ministro José Maria Neves é mais ou menos demócrata que Sarkosy ou Berlusconi. O que disse é que:

«Sarkosy tem tido politicas e um discurso que se podem comparar às de Napoleão Bonaparte, e até próximas do nacional socialismo alemão. E alguém tem dúvidas de que Berlusconi tem um discurso fascista na esteira do Duce?»

José Maria Neves não tem estas políticas! Ponto final. Pelo que comparar o Primeiro Ministro de Cabo Verde a Adolfo Hitler – um dos maiores homicidas da História – é um abuso do direito de expressão, de criação artística e da crítica política. Compreendo que assim não pensé, mas é um facto.

A questão da identidade nacional, vai para além do nacionalismo larvar cabo-verdiano e que se pode ver em algumas manifestações. Daqui a algum tempo, verá chegar o discurso da identidade europeia – e eu não estarei entre aqueles que serão surpreendidos. Mas isso é outra questão

A questão da integração é muito mais complexa do que parece, creía-me. Sendo certo que todos têm os mesmo direitos – e isso é fundamental numa sociedade democrática, seja Cabo Verde ou França –, a verdade é a questão da delinquencia e da sua repressão debe ser vista no plano da igualdade, como Aristóteles ensinava a Nicomaco. Nenhuma sociedade debe tolerar a delinquência e o mal que transporta. Ser duro com os criminosos, sim. Não por serem (e)imigrantes, mas por serem criminosos. Faz diferença, não faz?

Comparar José Maria Neves e Sarkozy, eu? Onde é que leu isso ó homem?

O que disse foi:
«Carlos Veiga comparado a Salazar ou José Maria Neves comparado a Hitler são exageros que razam a estultícia.»

Libertas inaestimabilis res est, mas tem limites. E nem preciso invocar Emmanuel Kant, pois não?

Abraço fraterno

PS: A questão dos descendentes de imigrantes na Administração Sarkozy tem muito fio para ser fiado...

Anónimo disse...

OK, entao vou pegar no seu argumento de que os "cartoons dinamarqueses so ferem a sensibilidade religiosa" para adaptar o mesmo raciocioco ao cartoon de Moisés sobre Neves.

Se aceita que no caso dinamarquês é apenas uma questao epidérmica porque é que nao aceita a mesma coisa em relaçao à ironia e mesmo "besteira" de Moisés?

Até porque sabe melhor do que eu que eu principio num estado de direito, teria mais mérito criticar politicos tendo em conta todas as liberdades por ele previsto, do que os religiosos onde o mundo seria mais hermético, ja que implica Deus e outras divindades mesmo o demónio.

Ou será que ainda acredita nos milagres de Jesus Cristo? Estou a blasfemar quando digo que dificuldades em acreditar que Jesus transformou os demónios de Gerasa em porcos que se despenharam pela ladeira abaixo?

Mas deixe-me pergutnar-lhe ainda que provas tem de que Sarkozy tem tido discursos nazistas? Nao acha que exagera e entra em contradiçao com aquilo que escreveu ainda recentemente sobre a justiça francesa que estava a citar como exemplo?

Sim porque se Sarkozy tem discurso nacional-socialista, porque é que você chamava a atençao para a independência da justiça francesa? Até porque é mentira. Sim, porque se você acha que a justiça francesa é independente, como explica que o Chefe de ESTADO, sendo um homem com um discurso nacionalsocialista, esteja a permitir isso?

Meu caro, você tem de fornecer provas para escrever esta frase que cito:


«Sarkosy tem tido politicas e um discurso que se podem comparar às de Napoleão Bonaparte, e até próximas do nacional socialismo alemão. E alguém tem dúvidas de que Berlusconi tem um discurso fascista na esteira do Duce?»

Compara Sarkozy ao nacional socialismo, logo um nazista, logo um Hitler.

Provas doutor, ou quer que eu adopte o seu reaciocionio e lhe diga que nesta ordem de pensamento está também a "abusar do direito de expressao", como você diz em relaçao a Moisés.

Desta vez o seu raciocinio pregou-lhe uma grande partida!

Mas olhe que eu até que acho que você tem direito de pensar e escrever o que afirma. Mas nao é "facto" nenhum como diz e nao é nenhuma verdade absoluta. Apenas a sua verdade, de um pobre cristao, como se diz na giria popular crioula. Portanto a sua verdade vale a minha.

Somente esta minha tese foi defendida também por grandes pensadores como Locke, Voltaire, Descartes (sim mesmo ele) Rousseau, Holbach... começa a ser muita gente pois nao?!

Bom Ano

Anónimo disse...

Sobre a identidade europeia que acha que ainda é uma questao nao debatida, você anda muito distraído; ou esta-se a referir apenas ao meio pequeno de Lisboa.

E' que esta semana ainda havia um filósofo francês que dizia mesmo que Sarkozy devia estar a promover a "identidade europeia" e nao a identidade nacional.

Está a ver que está atrasado no tempo?!

PS foi so um acrescento ao meu anterior post

Virgílio Brandão disse...

Confesso-lhe uma coisa: falta-me, neste momento, tempo e paciência para...

Dias bons

Anónimo disse...

Para.... o quê? Pois reparei que nao tem tido tempo para actualizar a mercearia. Como pode ficar 48 horas longe dos affairs doutor na Era da Net?

Tem razao assim nao dá para a gente ter paciência para....

Mas deixe-me perguntar-lhe so uma coisa: onde é arranja essas meninas descascadas e sexys que coloca no seu blog? Nao é pecado mortal para um cristao praticante? Confesso (também) que tem piada ver um teórico praticante da coiswa religiosa metido volta e meia entre pernas de bonitonas descascadas, postura que muitos fundamentalistas denunciariam como sendo pornografia, logo lançariam o doutor para as labaredas...

Jonas disse...

Ó Anónimo! O Brandon metido entre pernas de bonitonas decascadas? Isso queria ele bro isso queria ele lol
quanto ás fotos é obvio que qq gajo muito interessado nestas porras, vulgo tarado, vai à net e saca aquilo e muito mais
(VB não devias ter deixado o anónimo a falar sozinho, shame on you!)
:))

Virgílio Brandão disse...

Jonas,
obrigado pela resposta ao anónimo. Não deixei a falar soxinho, não. Só que existem prioridades, mesmo no plano dos prazeres...

Anónimo,
pecado é não viver, ser hipócrita e fazer o mal. Amar a beleza e as coisas belas da vida é dever fundamental do ser humano! Olhe que iria com prazer para a fogueira por causa da beleza e de Nossa Senhora d'boca vrôde pâ tchom!

Sobre a questão da identidade nacional em França é uma quase evidência de que é um ensaio para se discutir a "identidade europeia", mas esta não está em discussão no presente contexto político europeu, ainda.

Deixe-me dizer-lhe isto: se pretende o meu feed back, tem de ser rigoroso na leitura do que escrevo. Não comparei Sarkozy ao nacional socialismo, quanto muito compararia as suas políticas às do NS, não é? Comparei as suas políticas, em parte, às de Napoleão e disse que estarão "próximas" do NS.

O discurso nacionalista não é um discurso mau tout court... depende do plano em que o coloca, da dimensão do nacionalismo. Sou defensor do nacionalismo cultural, mas contra nacionalismo político, como se entende hoje.

Sim, a Justiça francesa é independente - formalmente independente, devendo os juízes concretizar a dimensão material da sua independencia na prática. Admito que possa dizer que alguns juízes franceses não são independentes (como pode dizer de qualquer outro país, a dar-lhe-ia razão), mas não do sistema judicial em si.

Aliás, acontecimentos posteriores só vieram a comfirmar o que disse sobre a independência do poder judicial, ao indiciar Jacques Chirac por ilicítos penais.

O meu raciocínio não me prega partidas, nunca. E sabe porquê? Porque o que digo é por convicção, e o que digo hoje direi amanhã, como disse antes.

Abraço fraterno,
e que tenha um bom feriado (abençoado pela bendita NSBVT).

PS: A liberdade de acredita é algo de sagrado, a religião de um não obriga a de outro, bem dizia Tertuliano.

Anónimo disse...

Ok! Leve a bicicleta e... as descascadas!

Virgílio Brandão disse...

Eu não ando de bicicleta, por isso pode ficar com ela. Agora, as... elas sim.

Abraço fraterno

Anónimo disse...

Fique com a taça, mas nao as meta nela porque...