sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

DIREITOS HUMANOS EM CUBA

  • A ONU, através de Srgjan Kerim, Presidente da Assembleia Geral, anunciou ontem que Cuba assinou dois dos documentos fundamentais da estrutura da ONU de defesa dos Direitos humanos: O Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos (PIDCP) e a Convenção Internacional sobre Direitos Económicos, Sociais e Culturais (CIDESC).

    Esta decisão deverá ser vista como o primeiro sinal da abertura de Cuba ao sistema Internacional de protecção de Direitos humanos, particularmente dos direitos políticos.
  • UN General Assembly President, Srgjan Kerim, yesterday welcomed Cuba’s signing of two key United Nations human rights documents: the International Covenant on Civil and Political Rights (ICPPR) and the International Covenant on Economic, Social and Cultural Rights (ICESCR).

    This must be seen as the first sign of political opening of Cuba to International system of Human rights protection, especially of political rights.
  • Para escutar: mms://radioterralonge.homeftp.net/radio terralonge classica

2 comentários:

Anónimo disse...

Temos direitos humanos universais ou direitos humanos sob directrizes euro-americanas?

Virgílio Brandão disse...

É evidente que os Direitos humanos têm uma dimensão universal (mal grado todos os constrangimentos deste conceito) e não são «propriedade» de ninguém. É por isso mesmo que se deve saudar a adesão de Cuba ao PIDESC e à CIDESC.

É que não fazia sentido que Cuba não fizesse parte de duas das convenções mais importantes da ONU sobre Direitos humanos e que reforçam a Declaração Universal dos Direitos do Homem de 1948.

Mas, não tenhamos ilusões: nos EUA e na Europa também se violam direitos, liberdades e garantias dos cidadãos. A pretensa «superioridade» moral dos povos desenvolvidos é, na verdade, uma falácia.

O importante é que os valores que estas convenções promovem e defendem sejam tidos como norte de qualquer sociedade. Seja Cuba, a União Europeia ou os EUA.
virgílio Brandão