segunda-feira, 8 de setembro de 2008

  • AS ENTRANHAS E OS ALICERCES DO PAÍS
Esta foto do Djibla, mostrando as frágeis entranhas em que assenta a praia da Laginha no Mindelo, fez-me lembrar as palavras do meu Mestre:

«Portanto, quem ouve essas minhas palavras e as põe em prática, é como o homem prudente que construiu sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enxurradas, os ventos sopraram com força contra a casa, mas ela não caiu, porque fora construída sobre a rocha. Por outro lado, quem ouve essas minhas palavras e não as põe em prática, é como o homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, vieram as enxurradas, os ventos sopraram com força contra a casa, e ela caiu, e a sua ruína foi completa!» (Mateus, VII.24).

Infelizmente muito do país está construído assim – sobre a areia, sem alicerces. Por isso faz sentido as medidas contra a construção clandestina que Ulisses Correia e Silva, Presidente da Câmara Municipal da Praia, está a levar a cabo; não parece mas é, também, proteger os cidadãos.

Mas estas chuvas, mais uma vez, vêm dizer a quem deve escutar que é preciso atentar noutro tipo de alicerces, bem mais profundos e que as entranhas do país estão carentes. Há quem ouça e faz o que é preciso, mas também existem os teimosos; mesmo com avisos inequívocos.

  • Imagem: Praia da Laginha, Mindelo, depois das chuvas (foto do Djibla)

2 comentários:

MÁRIO V. ALMEIDA disse...

O entulho de lama que fica na cidade depois de uma chuvada é de lamentar, meu caro amigo. Essa medida de Ulisses vem mesmo a calhar. Tem-se mesmo que criar maior atractividade para se construir no interior das ilhas, nos outros concelhos. Senão, teremos uma Praia á beira de uma derrocada.

Virgílio Brandão disse...

Mário,
o problema é que isso se tornou um problema estrutural sem necessidade.

Vamos crer que as coisas vão melhorar e que os nossos politicos irão repensar as nossas cidades e o nosso país.

Abraço e cuida bem das alegriasda Praia...