sexta-feira, 11 de setembro de 2009

  • DEUS NÃO GOSTA DE FUMAR, DEUS GOSTA DE BEETHOVEN

    A música de Beethoven é verdadeiramente divinal. A sonata nº.14 para piano, a 5ª. (1º. movimento) e a 9ª. Sinfonias são boas companheiras para um puro e um momento de reflexão. Como é possível que não se perceba a beleza que é viver, simplesmente viver? Não cobiçar o bem ou mal do próximo, mas ser cobiçoso de viver? Amordacemos Freud com a beleza, pois Deus gosta de Beethoven!

    — Deus, porque o meu puro não é um Montecristo Nº.1, um Sancho Panza, um Churchill da Romeo y Julieta ou um esplendido ou um robusto da Cohiba?
    — Porque não é um puro, mas somente um charuto – respondeu-me.

    Pois claro. E decidi escrever um poema a mim mesmo! Porquê? Porque me apetece! – é razão bastante? Há cada estraga-prazeres...

2 comentários:

Joshua disse...

Ai os apetites...os apetites...
:)

Virgílio Brandão disse...

Eh, eh...
:-)