domingo, 24 de Maio de 2009

  • A CRISE SELECTIVA E A ARISTODEMOCRACIA
Quem foi que disse que Cabo Verde passa a vida a imitar Portugal? Pois disse bem – e no pior que o país tem. Se fosse nas coisas boas, mas não. Pois bem, desta vez foi ao contrário. Depois da Assembleia Nacional ter renovado a sua frota automóvel, a Assembleia da República Portuguesa resolveu fazer o mesmo: BMW´s novos para todos os líderes parlamentares e para a Mesa da AR. O povo que aperte o cinto, pois é necessário comprar carros novos para os líderes do Parlamento (esqueceram estes que se o povo sofre, eles também deveriam sofrer, pois são a representação do povo; são somente o boca do povo – mas não para comer em seu nome, mas sim para falar em seu nome). E dar aumentos de 5% ao Governador do Banco de Portugal (cerca de mais mil euros de aumento por mês, a acrecentar aos cerca de 20 mil que recebe mensalmente), mas que este prescindiu – mas porque se tornou um escândalo público.

Assim vai Portugal – uns a viver de forma escandalosamente opulenta e outros a sobreviver nas ruas, debaixo das pontes e em casas onde não há ar condicionado, sedas, marfim, presunto pata negra e de pato, Barca Velha e Albariño, caviar beluga e champanhe a rodos... mas sim ratos, piolhos e, com sorte, uma côdea de pão com manteiga para comer com leite com prazo a expirar do Banco Alimentar. A crise existe, sim. Mas é selectiva, muito selectiva. «Os pobres que paguem a crise» – é o lema da aristodemocarcia política, os nobres da moderdinade, esses que emergiram da Revolução e das independências para livrar os povos oprimidos do jugo opressor. O povo, assim como a instauração da República em 1910, trocou um jugo por outro.
.
Mas pode ser que um dia o povo acorde, e faça uma revolução silenciosa nas urnas – pois Abril, nunca mais se verá; os militares estão adormecidos e domesticados pelas delicias de Cápua e pela «ordem democrática». E lembro-me, agora, do poema Os Conjurados de Jorge Luis Borges – sim, oxalá este meu desejo de despertar do povo seja profético.

Imagem: BMW série 7

Sem comentários: