quarta-feira, 20 de Maio de 2009

  • O LIXO DOS CABO-VERDIANOS
Falou-se muito em Cabo Verde sobre o tratamento dos residuos sólidos, o seu tratamento e a possibilidade (irreal) de se importar lixo tóxico. Deu lugar a escândalo nacional, com suspeições de corrupção, de favorecimento e ilegalidades várias. Mas depois, como já é hábito, a questão ficou esquecida – até parece que o problema do lixo deixou de existir, que foi resolvida. Foi para as calendas gregas do "Estudo", é o mais certo. Entretanto, quem não esqueceu o seu problema real foi Marrocos que, no âmbito de um Programa Nacional de Gestão de Resíduos Sólidos, fez um empréstimo de 132,7 milhões de dólares ao Banco Mundial para tratamento dos seus resíduos, e resolver o problema que afecta a vida dos cidadãos.

Será que temos consciência que a capacidade de Cabo Verde armazenar lixo é muito limitada? Parece que não. Mas é bom sabermos que a única coisa que temos de ilimitada na terra é a garganta, e os super homens, os que fazem e sabem tudo. Mas até isso, até isso irá para o caixote do lixo da história depois de chegarmos ao 1888 ou, para alguns, no julgamento eleitoral.

4 comentários:

Anónimo disse...

Pois... ;o)

moreia

Tina disse...

Preocupa-me que o nosso País, com a eterna desculpa dos recursos escassos, venda a sua integridade total (territorial, política, moral, cultural, ambiental, social e tudo o mais que nos é caro) por negócios lucrativos.

Hipoteca-se o futuro das ilhas pelo que é lucrativo apenas no imediato, para uns poucos? E quando for preciso tratar os solos e as águas, se acaso for viável tratá-los depois?

Mantenha.
Tina

Virgílio Brandão disse...

Dear Tina,
«quem vier que feche a porta». Não é assim que se costuma dizer?
:-)

Anónimo disse...

hello VB!! interessante teu post!!penso que antes de importar lixo dos outros deviamos começar por tratar do nosso(lixo, off course) , mas se se confirmar essa possibilidade não sei como é que vamos nos dessenrascar, é que sejamos conscientes e realistas não temos uma cultura de tratamento de lixo (embora ela possa ser adquirida) é que nem nos contetentores deitamos lixo , não estou a ver como iremos tratar de lixo toxico.. fico a espera do desenrolar da "coisa" ..;

Hiena