terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009

  • DISCRIMINAÇÃO MIGRANTE

O escândalo do dia (ou das próximas semanas?) é Alberto João Jardim e o trabalho dos estrangeiros na Madeira. Tristeza! As pessoas, de todo, não conhecem as leis deste país. Desde a publicação do Decreto-Lei 59/93 de 03.03 (sucessivamente alterado - até a actual: Lei 23/2007 de 04.07) que chamo a atenção para esta discriminação laboral ex lege que viola ostensivamente a Constituição portuguesa e a Convenção 111 da OIT sobre o trabalho e a igualdade no acesso ao trabalho. Orelhas moucas... fazem-se.

Vamos ver se a vontade da Administração Central do Estado de afrontar Alberto João Jardim é maior do que o seu autismo e esta situação tenha a virtualidade de chamar a atenção para o cerne da questão: a discriminação dos estrangeiros não comunitários no acesso ao trabalho em Portugal. Nos países africanos, nomeadamente em Cabo Verde, deveriam estar mais atentos a estas questões, nomeadamente quando fazem acordos neste âmbito…

Por chamar atenção para esta situação, aplaudo João Jardim. É triste, mas é assim; parece que o mal teima em triunfar com o silêncio dos bons ou que se dizem bons para poderem saciar a sua fome nos despojos das vítimas.

Que Mundo este: ter-se de aplaudir a injustiça…

  • Imagem: Arte pictórica de Adolf Hitler

3 comentários:

Ariane Morais-Abreu disse...

Por ironia podera a Madeira servir de modelo para Cabo Verde no que diz respeito a corrupçao, discriminaçao, injustiça, abuso de poder, etc... Macaronesia oblige, nao é!!

Ariane Morais-Abreu disse...

Por ironia podera a Madeira servir de modelo para Cabo Verde no que diz respeito a corrupçao, discriminaçao, injustiça, abuso de poder, etc... Macaronesia oblige, nao é!!

Joshua disse...

Pois é Ariane porque apesar da corrupção, discriminação, injustiça e etc a Madeira mudou, e para melhor, nos últimos 25 anos, pelo menos para quem lá vive. Passou-se de uma situação em que fora da capital faltava tudo, escolas, saneamento básico, centros de saúde para o situação muito boa com todas essas infra-estruturas e mais pela primeira vez na história da Madeira as pessoas não têm que emigrar em massa por falta de trabalho...Claro que não estou a dizer que é tudo fruto do trabalho do Alberto João que é um cromo do caraças, como diria o Jonas, mas que no entanto tinha um sonho para a sua Madeira.
Nada é perfeito e é a única zona de Portugal onde não existe um Centro Local de Apoio ao Imigrantes...Digamos que na Madeira são sempre benvindos os estrangeiros desde que não venham para trabalhar.