segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

  • DOGs
Nos Estados Unidos da América as mulheres chamam os homens de coração generoso de… dogs. Lá sabem e/ou terão as suas razões para assim dizerem… mas com ou sem razão, há pessoas – homens e mulheres também – que serão uma ofensa à essa espécie animal. São seres tão solidários – estes, os cães. O meu – da família, o Zorba (uma mistura de pitbull terrier com pastor alemão), além de ser um brincalhão mimado, gosta de salmão, de bolo de aniversário, queijo e de beber café. E é fiel, tão fiel que ainda é virgem – o desgraçado (eu bem insisto que devemos arranjar uma namorada ao nosso amigo, ainda que sazonal ou de circunstância…).

O não unânime e uma multidão de razões a sustentá-lo faz-me perguntar a mim mesmo de onde veio este estranho pudor… sei a resposta; não me agrada.

Mas se os cães são fiéis – neste sentido e no que está a pensar, desde que não sujeitos à tentação –, porquê é que as mulheres chamam os homens de dog? Não é mistério; mas que é um paradoxo, lá isso é. A natureza é a única coisa que não podemos mudar, alterar, modificar – é um consenso universal. E se assim é, porque nos queixamos dos seus comandos, teimamos em pensar que se pode tapar a boca do boi que debulha?
.
  • Imagem: Versão carnavalesca do oriente da Cláudia Ohana

11 comentários:

Joshua disse...

Cláudia Ohana. Cláudia Ohana que por acaso também tem ascendência sefardita, sabias?
Na minha opinião devias alterar a legenda desta imagem. Devia passar a ser qualquer coisa do tipo "A versão carnavalesca da zona púbica da Claudia Ohana", por exemplo.

Ora tenta seguir o meu raciocínio sobre esta questão para me perceberes. Imagina que eu colocava, no meu blogue, uma imagem do teu pénis e escrevia por baixo, à laia de legenda: Virgílio Brandão. Não achas que era um bocadinho redutor?

Vá lá, faz isso pela Claudia, altera a legenda da imagem, vá lá.

Virgílio Brandão disse...

Joshua...

Uma imagem do chocolatinho (o meu pénis tem nome!, pois claro.) no teu blog. eh, eh...

Tens razão. Convencido.
Espero que esteja melhor.
:-)

Sefardita...

marisa disse...

ena pah,ah ah ah,às vezes esse blog tem cada coisa,cada comentàrio,o Dr.virgilio tem um bom sentido de humor(maluco),e as pessoas k aqui tambèm deicham os seus comentàrios. o que eu senti( do fundo do meu coração,ah,ah,ah,lol)quando li os comentàrios acima referidos,è que no blog terra longe as pessoas sentem-se a vontade como se estivessem em casa,fala-se de tudo...

Joshua disse...

Pois é ficou estranho. Eu devia ter escrito o teu pénis num blogue qualquer e não no meu blogue, até porque tinha mais lógica. Só espero é que seja um simples lapso e não uma mensagem subliminar que o meu cérebro quer fazer passar.

Quanto ao resto dá para ver que estás numa fase de partilha. Primeiro foi o nome do gato, depois o do cão e agora o do apêndice em questão. O que se seguirá?
:)

Jonas disse...

Só tenho uma palavra para ti: Sortudo do caraças. Afinal são três palavras agoram vão dizer que um gajo não sabe nem contar!hehehehe

Anónimo disse...

disseram-me para vir vesitar este blog e constato que o meu amigo tinha razão; temos aqui uma grande chã de cona que é de desorientar qualquer um; mas a primeira leitora pode ter razão porque temos que ter cuidado com a religião de cada um. meu deus que experon!vi também que o grande AL Binda meteu confusão nisto como faz no Semana; gostei imenso e vou voltar;

Ariane Morais-Abreu disse...

"Dog" pode talvez ser um acronymo (nao sei se esta palavra existe em português?!) que interpela a autoderisao da imagem do cao, objeto de transferência afectiva...

Anónimo disse...

Isto é uma grande ofensa à mulher; é sexismo e ainda racismo contra a sefardita; uma vergonha que um jurista trata a mulher desta maneira.
maiza t.

Virgílio Brandão disse...

Ariane: existe «acrónimo» em português, sim…

Joshua, o que se seguirá? Sim, o quê?

Marisa, quem não se sente a vontade; não sente…

Anónimo de 10/Fev/2009 18:06:00: volte sempre que quiser.
Jonas, peixinho: «Sor Tudo Do Caraças são», sim, 4 palavras. Não sabes contar! Eh, eh…

Sra. Maisa...
Confesso que não entendi onde está o racismo e o sexismo.

Ofensa? Deus... pode me dizer onde está a ofensa? É que assim, da próxima poderei evitá-la.

Ah, como se contacta, a Cláudia Ohana não é a única sefadita por aqui...

Dia bom a todos :-)

Joshua disse...

Estou a ver que preferes, judaicamente, a dimensão interrogativa à dimensão assertiva, tão tipicamente cristã!
Boa escolha.
:)

Virgílio Brandão disse...

Joshua,
aprendemos sempre... e não é só a cuidar del pelo. :-)