sexta-feira, 20 de Fevereiro de 2009

  • A NOVA CONSTITUIÇÃO DA VENEZUELA

Hugo Chavez tem a sua nova Constituição – ser Presidente para sempre da Venezuela é, será, a ideia. Uma via revolucionária do socialismo, seguindo as pisadas do seu mentor político: Fidel Castro. O povo referendou a sua ideia de terminar com os limites de mandatos presidenciais e esta passou, aprovada. Ditador! – grita o ocidente, escandalizado.

Mas, em verdade, a ideia de limitação de mandatos não será, em si mesma, uma subversão da ideia da democracia pura, verdadeira: aquela que assenta na vontade do povo? A história de Pericles parece dizer que sim… o bem não deve primar sobre a forma? É a questão. Mas é preciso limitar o poder… – ouvi-se-á. Pois... O poder à aristodemocracia! – reclama a Europa e as «nações civilizadas», suas filhas filhas morais.

Mas a sua ideia de nova constituição não é somente política e jurídica, ah, não! Os seus olhos caíram numa pretinha que faz estragos por Paris e por onde passa; em corações e não só. Não posso dizer que o homem não tem boas ideias, lá isso não posso, não… Uma tarda, por isso agarrou na outra com unhas e dentes – esperando que uma coisa o console de outra.

  • Imagem: Naomi Campbell

2 comentários:

Anónimo disse...

Essa nova constituição de Chavez é muito interessante! Denota que tem bom gosto.
;)

Ariane Morais-Abreu disse...

A limitaçao dos mandatos revela também a incapacidade dos politicos em fazer evoluir o modelo democratico, cada vez mais binario e mecanico. Limita-se a ambiçao dos individuos (muito bem!) mas nao a dos sistemas de poder politico. Chavez joga com as incoerências ocidentais...