quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

  • LIVROS QUE MERECEM MAIS DO QUE SER LIDOS

LEWIS HANKE, All Mankind Is One: A Study of the Disputation Between Bartolome De Las Casas & Juan Gines De Sepulveda in 1550 on the Intellectual & Religious.

Um livro extraordinário sobre a discussão que estes dois pensadores se debruçaram na corte de Carlos V em Valhadolid: os índios do Novo Mundo e os africanos da África colonizada, por tabela, tinham ou não alma? Eram escravos por natureza? Uma discussão fascinante de dois pensadores representativos do Século de Oiro espanhol.

HANS GADAMER, La actualidad de lo bello.
Um livro sobre o sentido da arte. Fundamental para quem pensa e cria arte intencionalmente e não de modo reflexo ou acidental; para quem pensa e cria a arte como cultura eminente e/ou sentido epistémico. A ser lido e cotejado com «A Desumanização da Arte» de Ortega y Gasset.

Esta sujestão faz-me lembrar o que disse um dia Paulino Vieira: «há artistas verdadeiros e verdadeiros artistas».

  • Imagem: Salvador Dali, The Servant of the Disciples at Emmaus (1960)

5 comentários:

Anónimo disse...

...sei que o impeachment se aplica em casos de corrupção , traição, e outros crimes e delitos menores ? queria saber se pensas que os republicanos poderiam ter "pano pra manga" apesar de ter sido um membro desse partido, J.roberts (e Presidente do ST) a causar ,digamos, tal "embaraço"...

Hiena
P.s.- nada ver com o teu post mas era pra te dizer que possivelmente o Sam Raimi farà um novo THE SHADOW...

Virgílio Brandão disse...

Hiena... pouca gente se apercebeu disso (só a perspectiva do analista percebeu o nervosismo instantaneo de Obama).

Fico a espera de um The Shadow bem melhor. Mas mesmo que não seja, terei prazer em vê-lo.

E se não fizer... bem vou vem um Sintantom! He, he...

Abraço fraterno

Minelinha... disse...

Estou sempre lendo seu blog, adoro!!! Beijos da Italia pra voce!

Virgílio Brandão disse...

Beijos recebidos... e :-)

Ariane Morais-Abreu disse...

La esta o problema, alias o problematico pesadelo dos Paulino e consorts, confundem artistas com criadores, o adjectivo verdadeiro realça a profunda contradiçao... Que linguagem de arte falam verdadeiramente essa gente?!!!