sábado, 17 de janeiro de 2009

  • FALANDO DE CULTURA…

Desde há algum tempo que venho visto na RTP África um anuncio televisivo dirigidos a potenciais turistas e convidar os mesmos a visitar Cabo Verde e as tartarugas que aparecem, bebés, frágeis, a lutar pela existências – no seu conatus essendi animal. Coisa espantosa, na verdade. Espantosa porque o apelo é feito por uma entidade que deveria se preocupar com o ambiente e em manter esses espaços como zonas reservadas, santuários ecológicos e não sujeitas à pressão turística.

Saberá quem mandou fazer o anúncio o que é uma zona ambiental reservada e que a ecologia e a sua dimensão de sustentabilidade ambiental não liga com turismo de massas? Mais, que os locais de desova de tartarugas em Cabo Verde é um património impar do país e, por ser dos pouquíssimos existentes no planeta, é património não somente nacional mas também da humanidade?

É claro que o país precisa de mais e melhor para cativar os turistas que procuram o país para o conhecer, descansar e investir; mas existem outras formas de cativar turistas que não seja a custa do património ambiental que, com turismo nessas zonas, fica, necessariamente, afectado e empobrece o país. A não ser que seja um equivoco da minha parte e se esteja, de todo, perante publicidade enganosa. Nas aí…

Se eu fosse comedor de tartaruga, coisa que felizmente não sou, pensaria, ao ver o anúncio: «aí está uma terra onde posso me deleitar com rara iguaria». E, tendo dinheiro, não faltaria, de certo, a carne desses animais extraordinários na minha mesa. Pois é… esse anúncio promove, de forma mediata – ainda que não se possa ter consciência disso –, o morticínio das tartarugas. Mas não somente das tartarugas, também de parte da cultura nacional, da memória mais memória da nossa terra. Contribuir, ainda que de forma indirecta, para a extinção desta espécie, é, também, retirar da existência a memória mais antiga que se tem do pedaço de terra que nos dá guarida há cinco séculos – e as tartarugas, com arcano e recôndito mistério, a transportam há muito.

E assim vai a nação, na II República…

Ps: Para quem se interessa por estes animais aconselho a leitura do livro Peter Lutz, Jeanette Wyneken and John Musick (ed), The Biology of Sea, New York, 2003

  • Imagem: Tartarugas a ser limpa...

2 comentários:

superior disse...

I think I come to the right place, because for a long time do not see such a good thing the!
jordan shoes

Virgílio Brandão disse...

Superior, thank you for your words. :-)