sexta-feira, 27 de março de 2009

  • DIA DA FLOR PRIMA

Hoje é dia da mulher cabo-verdiana. Acordo, medito um pouco. Ouço Hana, de Hayley Westenra… Você não Sabe, de Maria Bethânia, e recebo um e-mail a perguntar:

– «Já compraram aquela rosa escarlate para a vossa crioula berdiana?»

A minha berdiana… a minha berdiana é a Rosa do Mundo; não lhe chegam rosas. E não resisto a escrever um poema à mulher cabo-verdiana – o alicerce, o milagre das ilhas. Assim, hoje, escrevi NEGRA MINA.

3 comentários:

Tina disse...

Um belo poema, com a qualidade que (re)conheço.
Esta "seiva de manga" agradece! Também pela beleza do "sucedâneo do altar florido" erguido neste dia, de um colorido sóbrio que alegra o meu dia.
Abraço.
Tina

Jessica disse...

VB, obrigada pela pétala, que me coube, da Rosa do Mundo, que pensava que vinha por net, e cá chegou em forma de verso.

;)

Sublime, não há palavras para agradecer.

Como já havia dito em outro fórum, só um homem com a alma de poeta pode amar assim o "Deus" na e da Terra...

Dia bom
Bali!

Virgílio Brandão disse...

Tina,
alegrar o dia de uma pessoa – e uma de alma profunda como tu – é/será um previlégio para qualquer mortal. Que recompensa maior pode ter um aprendiz de poeta senão esta, esta que transportas nas palavras?

È “supedâneo” – mas bem que poderia ser sucedâneo… sim.
Dia bom, e feliz!
:-)