quinta-feira, 19 de março de 2009

  • DESPERTAR(es)
Acordo. O dia está belo – estranhamente belo. Dou graças a El Shaday pelo milagre: contemplo o Mundo das janelas da minha alma, e espanto-me. Medito um pouco, e espanto-me ainda mais. Escrevo meia dúzia de poemas. Compartilho um contigo que me lês e, depois da minha alma, escuto Teresa Teng e as sonatas de piano de W.A. Mozart executadas por Maria João Pires – pensando no que aconteceria se Mozart tivesse morrido menino nas ruas de Salzburgo, se Lutero tivesse sido vítima de abortamento numa favela do seu tempo, se a sua mãe ou o seu pai não o tivessem desejado – pior: se tivesse ficado em silêncio quando falou.

… seria, eu, infinitamente pobre.

Somos vagalumes, gafanhotos a atravessar um oceano de tempo. Acordo. Não de ontem, não de ontem. Nem do sono, nem da noite. Simplesmente acordo.

Imagem: Caveira, como quase todos acabam...

4 comentários:

Joshua disse...

Pois é o dia está bonito. E eu vou contemplá-lo numa esplanada aqui perto durante o almoço mas, não vou meditar nem escrever poemas nem nada disso...

Vou ficar apenas a ouvir as conversas das mesas vizinhas :)

Hoje estou muito cusca.

:0)

Virgílio Brandão disse...

Oh!, Joshua...
Deverias, deverias fazer fazer isso tudo! Eu,agora, também queria ser cusco.

:-)

Jessica disse...

O dia está belo - estranhamente belo, porque é o prenúncio da Primavera, que começa hoje. Maravilha!

Nestes dias de sol vou virar cusca também! lol

Que bom o sol!


:)

Joshua disse...

Nunca escrevi poemas mas sou até muito meditabunda. Estou a fazer um esforço para mudar! Hoje, por exemplo, mobilizei os colegas para um almoço de grupo numa excelente pizaria aqui perto.
E tu? O que é que estás a fazer para seres cusco? Querer é poder heheheh