quinta-feira, 26 de Março de 2009

Mais do que os Lusíadas, é outro mundo que espreita na alma; anseia acordar.
.
Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?
--- Luis de Camões


Imagem: Luis Royo, in Subversive Beauty, The Five Faces of Hecate

2 comentários:

Jessica disse...

VB, que bom que outro mundo te espreita na alma, e que anseia em acordar!

Deixa-o vir, e despertar do sono profundo em que, talvez, se encontrava hibernado.

Não tenhas medo. Cá fora há muita beleza perdida e solitária...

Noite boa

;)

Nita disse...

Virgílio
Por isso mesmo se diz: - "Morre o Homem, ficam as obras"
E, são essas que o faz Imortal.
Obrigada por me teres feito recuar no tempo da minha juventude quando "cantarolávamos", DE COR, alguns dos magnificos versos épicos do imortal Camões.
Mas, sim. Há neste Mundo mais que Os Lusíadas.
Tudo a seu tempo acontece, conforme desígnios do Supremo Criador.
beijos,
Anita