terça-feira, 21 de Outubro de 2008

  • A VINGANÇA DE COLLIN POWEEL
Collin Powell, o general que sonhava ser o primeiro Presidente negro dos EUA decidiu apoiar Barack Obama. Percebeu que o seu sonho desaparecera há muito: quando, no cumprimento do dever, seguiu George Bush, Durão Barroso e Tony Blair na mentira das armas de destruição massiva que despoletou a guerra do Iraque.

Ainda tentou se desligar do actual Presidente ao sair da Administração Bush – com a qual há muito não se identificava – com muita lisura. Daí a sua decisão «não ser uma surpresa», como diz John MacCain. Mas saiu tarde demais, para o seu sonho enterrado no Iraque por George Bush, e para o povo americano que poderia ter feito outras escolhas.

O seu silêncio foi não fazer o que podia e deveria. E sabe isso; e quer corrigir isso. A história é implacável e tem, em Barack Obama, a perspectiva de acção necessária que não viu em John Kerry. Sim, tem em Barack Obama uma forma de redenção e de cumprir o velho sonho de matar e enterrar o espectro da diferença racial de uma vez por todas.

Collin Powell percebeu, assim como muitos outros americanos, que Barack Obama é um líder que deseja ir para além do que é possível; que quer, exige o impossivel, como aquela Europa que sonhava um Mundo melhor. Sem o dizer, já o demonstrou. Como? Primeiro com a sua motivação para a esperança, depois com o financiamento da sua campanha sem recorrer a fundos públicos; o que, à partida, parecia impossível. Éste último aspecto é, sem dúvida, uma mensagem subliminar que no actual período de crise faz e fará toda a diferença.

Na hora certa, Collin Powell. Quando se discute a capacidade de liderança e a experiência ou falta dela, eis que vem o homem que diz que «Leadership is the art of accomplishing more than the science of management says is possible» apoiar Barack Obama. E faz isso contra o candidato do seu partido, sim. Mas, além dos méritos merecidos de Barack Obama e do patriotismo que revela (é..., o voto é para o bem das nações, não dos partidos), também faz isso contra o seu sonho pessoal; sim, o apoio a Barack Obama é, também, a vingança da pantera.

  • Imagem: O General Collin Powell, ex-Secretário de Estados dos Estados Unidos da América

Sem comentários: