sexta-feira, 31 de outubro de 2008

  • VOZES DE ATENTAR BEM

“The idea is to make 2008 the year when ‘social Europe’ is given a new lease of life, in the understanding that, given the current economic crisis facing Europe, it is more important than ever to support and enlarge one of the key pillars of European society.

[…] “It is no longer enough to simply react to circumstances or to take short-term decisions when it comes to social policy: we need a policy that is able to anticipate, and react to, the ups and downs of the next 10, 15 or even 20 years” Xavier Bertrand is France’s Minister for work, social affairs, the family and solidarity in Parlamient, 27 October 2008

Ah, o Ministro falava de igualdade, de não discriminação étnica, racial, de género… e das preocupações da Presidência francesa do Concelho Europeu. Olhando pela política de imigração da EU e o que acontece, por exemplo, em Itália há que pensar e repensar algumas coisas, principalmente os países de emigração.

Note-se que digo países, pois se esses não fazerem nada acabam na mesma rede de interesses e conveniências tecida pelos governos (e alguns partidos de eterna oposição…) europeus, nomeadamente Portugal, em volta das associações de imigrantes que usurpa(ra)m o cognome de «representantes» das comunidades imigradas.

Eu não me revejo nem me sinto representado por ninguém, muito menos pelas associações - e note-se que sou sócio de algumas. Até que teria de perguntar ondeporquê e com que legitimidade ou fundamento legal. Mas isso é outra conversa... O que importa é entender(mos) o que vai nessas cabecinhas governativas e o que têm feito de desagregador das comunidades imigradas sem que os putativos «representantes» das mesmas tenham, ao menos (assim parece - e resulta até mais simpático pensar assim), se apercebido.

  • Imagem: Xavier Bertrand, Ministro Francês do Trabalho, Assuntos Sociais, Família e Solidariedade

2 comentários:

Ariane Morais-Abreu disse...

Quem nao olha para o "Traité de Lisbonne" pode acreditar nas boas intençoes deste ministro do gouvernement Sarkozy, o bombeiro pyroman, em relaçao ao imperativo social da UE... Quanto as associaçoes por aqui, que se organizam pelo menos em primeiro para satisfazer os anseios dos seus membros aderentes, cada kusa na sê lugar!! Que legitimidade tem, por exemplo, um Congresso dos Quadros que pretende representar por lapso a diaspora?!

Virgílio Brandão disse...

Ariane,
sore oimperativo social da União Europeia... no words.

Legitimidade? Isso gostaria de saber... mas acho que é a legitimidade do canudo ou do «sucesso»...