domingo, 12 de abril de 2009

  • O MEU POETA, HOJE
– E a emoção,
onde fica a emoção
de saber o que acontecerá amanhã? – pergunta-me o meu poeta.

Imagem: Giovanni Belinni, L´Annonciation - Panneau de St. Vincent Ferrar, Eglise SS. Giovanni e Paolo, Venise

2 comentários:

Jessica disse...

Hoje sei que amanhã pode ser que não exista o momento, que hoje queria, e que ontem quis!

O momento era hoje e agora!

Não concordas, VB?

Resta-nos, pelo menos, sonhar, o mesmo sonho de ontem, e de antes de ontem... Amanhã, bom amanhã, não sei se estarei acordada logo cedo a conversar com o meu Deus, para agradecer-lhe por mais um dia de vida!

Noite boa

;)

Virgílio Brandão disse...

Jessica,
concorde ou não, a verdade é que a sabedoria antiga dizia «Carpe Diem» por alguma razão.

Se não desejar hoje, amanhã ou depois a mesma coisa... é natural. A vida é assim mesma. Quem foi que disse que devemos amarrar os nossos pensamentos e desejos?

Se o encontrares, mando-o dar uma volta! Sozinho, à chuva.

Noite boa