sábado, 18 de abril de 2009

Nem só de pão viverá o homem… Jesus Cristo

6 comentários:

Gabi disse...

Concordo, plenamente! E a Mulher, igualmente.

Noite boa e boas leituras...

:~)

Virgílio Brandão disse...

Ah! ah! ah!...
essa cabecinha, Gabi! essa cabecinha...

O meu Mestre JC falava de homem como espécie... e não deveria deixar-se influenciar pela Maria Madalena (ainda que essa forma de pensar seja, na verdade, equívoca) aí em baixo, não.

Estou a ler Escoto Erigena, Dionisios Aeropagita e Diógenes Laércio; para que conste. Sim, são boas leituras.

:-)

Gabi disse...

E ler uma Mulher, será uma boa leitura também, VRB?

Qual a diferença, no tacto, no sentir, no acarinhar, no envolver, no abraçar, no sentir, no desejar, no beijar, no querer, no tocar, no percorrer, no esfolhear, etc, em relação a um livro?

São duas aventuras interessantes, não? Mas esta parece mais quente, forte e explosiva, não acha VRB.

Eu gosto de tudo um pouco. Mas se tiver entre um livro e um crioulo, adivinha quem preferirei?

Eh eh eh

Continuação

:~)

Virgílio Brandão disse...

1. Gabi, o que lhe posso dizer é que, estando de acordo com o Capitão Gancho, a leitura que refere é aquela que mais nos aproxima da maior aventura. Assim, sendo-o, não preciso de ser gráfico, como diria Joshua.

2. Já sei, Gabi:

escolheria, de certeza, ler «Fome» de Knut Hamsum, «Notas do Subterrâneo» de Dostoievski, «Pobre a Pedir» de Raúl Brandão ou, até mesmo, revisitar Red Buttler e Scarlet O´Hara em «E Tudo o Vento Levou» de Margaret Mitchell.

Não tenho dúvidas, não. Razão da minha afirmação e convicção: é a única escolha risível.

:-)

Gabi disse...

No fim da minha leitura, escolheria Margaret Mitchel, pois nessa altura, já tudo o vento levou, ficando na alma a memória do momento ou não VRB?

;)

COntinuação

Virgílio Brandão disse...

Oh, Gabi.
Mas, afinal... não era uma escolha?

Se leres bem Gone With The Wind verás que não é bem assim. No final Scarlet O´Hara diz: «tomorrow is another day».

:-)