sexta-feira, 14 de novembro de 2008

«A ECONOMIA DA CULTURA NO DEBATE DA MUDANÇA», é o mote do Fórum Internacional sobre a Cultura promovido pelo Ministério da Cultura de Cabo Verde.
.
Mas que mudança ser irá debatida? O tema, do ponto de vista científico, é até muito interessante e cria, naturalmente, grandes expectativas. Mas como se pode saber o que será se a informação sobre o Fórum é escassa e nem se sabe como será o modelo formal do mesmo? Esperemos, com alma de optimista.

  • Imagem: Selo de 24 reis de 1886

2 comentários:

João Branco disse...

Desconfio que vamos estar como se fossemos uns funcionários da Electra a discutir questões de física nuclear... Mas pronto, posso, e espero, estar errado!

Virgílio Brandão disse...

João, a tua ilustração é interessante e assertiva – se de «industria cultural» se tratar… - em dada perspectiva.

Confesso que será (seria) deveras interessante assistir à uma discussão sobre a mudança de paradigma da industria cultural e da sua teoria como foi enunciada pela escola de Frankfurt logo a seguir à II guerra mundial. Em particular do ponto de vista «nacionalista» (no sentido cultural, estético e educacional) de um país como Cabo Verde e do que isso representa(rá) para a nação crioula.

Mas, como disse num post ou comentário meses atrás, parece-me que se está(rá) perante um equívoco de delimitação de objecto ou de conceito. O programa (penso que provisório) indicia isso mesmo.

Vamos ver se estou ou não sinceramente errado; mas parece-me que não.

Se não estiver errado, pelo programa que está no site do Ministério da Cultura, a tua ilustração será verdadeira, em parte – isso sem desprimor para quem participa no evento, é claro.

Estranho que tu, que participarás no evento, não saibas bem do se trata… quando, em rigor, já deverias ter enviado um abstract com o teor da tua comunicação ou, se não fizeres parte de nenhum painel, saberes - ao menos - a temática sobre a qual tal incidirá.

Mas isso digo eu; eu é que ando com maus hábitos nessas andanças, certamente. Eu que não percebo patavina destas coisas; certamente.

Abraço fraterno