quinta-feira, 20 de novembro de 2008

  • Perguntar não é não saber, é colocar o outro a pensar na(s) resposta(s) que pensa que sabe ou que pensa que precisamos saber. Perguntar é levar o outro a descobrir que, afinal, não sabe – disse-me o meu poeta.

10 comentários:

Joshua disse...

Ora aqui temos finalmente um pensamento claro do teu poeta. Até eu posso dizer que percebi! :)

Anónimo disse...

Entendido, mestre!!! Mas já reparou na contradição da sua afirmação?
Olhe, ao menos quem pergunta é porque quer saber mais, contrário dos pseudo-intelectuais que se acham superiores e que sabem muito; que do alto da sua suprema inteligência tentam fazer pouco dos que questionam, porque querem compreender e aprender.
I am sorry but i am stubborn, i am taurus, so i will keep questioning, but you don`t have to answer me if you think that i don´t deserve any answer.I will not mind! You`re free to do this.
Take care. So long!

Virgílio Brandão disse...

Joshua,
como podes verificar não será tão claro como isso...

Anónimo das 10:27:00...

Demonstre-me a contradição do meu poeta, please.

Concordo com o segundo parágrafo do seu comentário, mas isso é somente uma parte da questão, não é? Veja, por exemplo, a «dúvida metódica» de Descartes...

Não olhe as coisas dessa perspectiva tão monocolor... As coisas e as palavras não têm um sentido unívoco, como sabe(rá).

I a taurus too. But i am not stubborn... longe disso, longe disso. Questione, pois é bom, principalmente para quem é o receptor que, naturalmente, é inplelido a conhecer.

PS: Nunca leve o que o meu poeta diz para o plano particular, será equívoco. Ele não é assim, se é que posso falar por ele.

Joshua disse...

hahahaha "I`m a taurus too. But I am not stubborn..." Boa piada! Todos somos teimosos. Touros ou não touros. E depois como dizia o meu avô: ninguém teima sozinho!!!

Virgílio Brandão disse...

Joshua,
pode parecer piada, mas sabes bem que sou demasiado sensível para ser teimoso...

Quem tentar teimar comigo, teima sozinho. Mesmo quando tenho razão tento encontrar uma forma de satisfazer quem pensa que a tem, pois não me importa «ter razão», basta-me saber que a tenho.

Mas é claro que existem momentos de excepção, mas isso não é, de todo, definidor.

«Todos» é demasiado redutor da realidade... não deixa espaço à individualidade, não achas?

:-)

Joshua disse...

Não quero teimar contigo. Mesmo porque estaria na tua perspectiva a teimar sozinha. Ser teimoso é também ser obstinado, persistente, constante e firme. E tu és tudo isto. Só não necessitas que reconheçam que tens razão. Achas que és superior a isso porque sabes que tens razão e isso é suficiente para ti. És um teimoso que não gosta de exteriorizar.
Eu não vou teimar mais porque também sou um bocadinho sensível e não me interessa ter razão basta-me saber que a tenho. :)

Anónimo disse...

Ai mestre, cansas-me a beleza!!!
O meu comentário vai ficar para depois.
Beijufas

Virgílio Brandão disse...

Joshua,
Nem tinha percebido que estavas a teimar...

Gracias pelos adjectivos...
:-)

Anónimo(a) das 12:59:00.
Por quem sóis, eu nunca fiz mal à beleza (nem à de ninguém), pelo contrário!

Isso de «beijufas» é beijo + uff, no caso uff(a) - pois vejo que é uma Semhora - não é?

Joshua disse...

Nem te tinhas apercebido que eu estava a teimar...LOL...Teimar sozinha é a minha especialidade. Sou um bocadinho beligerante por natureza.
Quanto aos adjectivos: estava mais uma vez inflamada. A diferença é que desta vez não te vou pedir para apagares o meu comentário ;)
Bom fim-de-semana.

Anónimo disse...

Mestre, Mestre!!! Atenção!!! Cuidado com algumas contradiçoes nos teus posts.
Bom fim-de-semana.