quinta-feira, 20 de novembro de 2008

  • O DESPERTAR PARA A CULTURA? ©
A dotação orçamental para o Ministério da Cultura será de 3% do Orçamento do Estado de Cabo Verde. Parece-me bem e nada de extraordinário em si mesmo. Mas alguém consegue me dizer qual foi a dotação do ano passado, da última década para a cultura cabo-verdiana? A mudança passa por aí, ou pode-se esperar mais da cultura e da sua promoção efectiva pelo Estado? É uma medida sutentada ou um sustentáculo de epifania para o Fórum sobre a Economia da Cultura?

– O Governo acordou para o valor económico da cultura – diz-me o meu poeta.

Sinceramente, espero que o meu poeta tenha razão e que o Governo, também, acorde para a dimensão social, humana e formativa da cultura. É que, convenhamos, não é uma questão de dinheiro mas sim de política ou de falta de política para a cultura. Agora que já ninguém acredita em revoluções, o pragmatismo é a palavra de ordem. Entendo, mas venham de lá as políticas de e para a cultura.
.
  • Imagem: Mao Tze Tung, Andy Warhol

1 comentário:

Ariane Morais-Abreu disse...

Sim tem razao o teu poeta, "O Governo acordou para o valor económico da cultura" mas tira-se logo um tiro na cabeça quando anuncia a exempçao de taxas alfandegarias para os CD (produtos comerciais) produzidos e reimportados em CV!! Com que recursos podera viver esta economia da cultura ? Muito ainda para dizer sobre as falsas boas decisoes do ministro da cultura que redondamente chumbou a prova...